Transporte: Município aponta para tarifa a R$ 3,55

 

Ao encerrar mais uma edição da Escola de Governo, na manhã desta quarta-feira (15), o prefeito Leonaldo Paranhos informou que as conversações com as empresas concessionárias do transporte coletivo urbano avançaram no sentido de equalizar o reajuste da tarifa. Ao lado do vice-prefeito Jorge Lange, do presidente da Cettrans, Alsir Pelissaro, e do secretário de Assuntos Jurídicos, Luciano Braga Cortes, Paranhos disse que aguarda a manifestação das empresas ainda no dia de hoje para selar o acordo.
O prefeito lembrou que desde que assumiu a Prefeitura de Cascavel, em janeiro, está buscando a renegociação de todos os contratos vigentes para reduzir os gastos do Município o “máximo possível”. “Nos próximo dias vamos divulgar o quanto já conseguimos de descontos. Mas, além dos descontos estamos fazendo outra prática que é analisar a qualidade do serviço e do produto entregue”, disse, lembrando que um dos argumentos reais utilizados na negociação com as concessionárias é que “o país vive um momento de crise, momento de muita oferta e pouco consumo; as pessoas têm comprado menos comida, tem tido menos lazer e comprado somente o essencial e o transporte está nesse cardápio das necessidades essenciais”.
Paranhos relatou que desde janeiro, quando está previsto o aumento, tem discutido com as empresas e “entendido de não fazer o reajuste”, embora a planilha que é “protegida” pelo contrato aponte para um aumento. “Então, pedidos que esse aumento fosse a partir de maio, ou seja, cinco meses de ganho para a população. (…) Maio é um mês em que a massa trabalhadora tem um reajuste de salário e poderia absorver este aumento”, completou.
Valores
De acordo com o prefeito, a proposta discutida foi de uma tarifa no valor de R$ 3,55, com R$ 0,25. “A discussão chegou a R$ 4,00 e R$ 4,05; a Câmara teve uma intervenção importante na questão do agente de bordo, porque qualquer serviço que se inserir no transporte acaba aumentando os custos e alguém vai ter que pagar”, relatou Paranhos, informando que ainda aguarda a resposta das empresas que pediram até o final da tarde de hoje para se manifestarem.
Paranhos afirmou ainda que quer resolver a questão de forma consensual, em que exista uma demanda judicial e, se a negociação se consolidar será assinado o acordo na sexta-feira, na última apresentação da primeira fase da Escola de Governo, que será com a Secretaria de Administração.

Deixe uma resposta