Transferência de famílias: Terrenos em preparação

Reportagem: Romulo Grigoli

Foto: Lorena Manarin

Os lotes para a transferência provisória de famílias da desocupação do Jardim Gramado começaram a ser preparados. Dois deles ficam no loteamento Petrópolis, no Bairro Santa Felicidade, no cruzamento das ruas Soldado Luiz Gonzaga e Francisco Stocker.

Máquinas já fizeram a limpeza das áreas. A empresa Transcontinental, proprietária dos terrenos do Gramado, fez a primeira doação de madeiras e pregos e a Cohavel disponibilizará material para pisos e banheiros. A mão de obra ficará por conta das próprias famílias beneficiadas pela prefeitura.

As casas terão o padrão de 30 metros quadrados. Para o Santa Felicidade serão transferidas 22 famílias e para o Brasília outras dez. A Secretaria de Ação Comunitária garante a coordenação dos trabalhos.

Um levantamento topográfico foi realizado para aferir o tamanho dos terrenos e a secretaria organiza a distribuição das famílias, que será via sorteio.

Ainda não há prazo para a conclusão das moradias e enquanto isso, famílias permanecem alojadas no ginásio do Bairro São Cristóvão.

“Estamos sem saber o que vai acontecer e mesmo que a prefeitura doe telhas e madeiras, não teremos como construir ou pagar por isso”, diz Sueli Ribeiro que vive com a mãe, irmã e dois filhos.

Quem vive no Santa Felicidade está apreensivo pela chegada dos novos moradores. “Nem sabemos quem serão essas famílias, mas o que a gente espera é que não haja problemas e que elas respeitem os vizinhos”, diz uma dona de casa que mora há 30 anos no bairro e que não quis se identificar.

Cerca de 200 famílias que viviam na área invadida do Gramado, hoje estão instaladas em lotes no Jardim Veneza. A chegada delas por lá também gerou impasse entre os demais moradores.

Deixe uma resposta