SEGUNDONA: “Novo” Cascavel CR estreia em casa no “novo” campeonato

Equipe que na primeira fase só venceu os rebaixados Grêmio Maringá e Apucarana, mas que na segunda fase já arrancou fora de casa um ponto do Paranavaí, time que até então tinha a segunda melhor campanha da competição, o Cascavel CR estreia em casa na fase de grupos da Segunda Divisão do Campeonato Paranaense neste domingo (30), às 15h30, no Estádio Olímpico, diante do Maringá FC, pela segunda rodada da chave B.

O time maringaense iniciou esta nova etapa da competição com uma vitória em casa por 2 a 0 sobre o Andraus, o que lhe dá a atual condição de ponteiro do grupo e também lhe devolveu a segunda posição na classificação geral.

A campanha na primeira fase, com cinco derrotas, dois empates e duas vitórias, já ficou para trás, principalmente com reforços no elenco e o maior entrosamento, além de maior união no grupo. Até então com apenas uma vitória e um empate em seis jogos, o time cascavelense contratou 11 jogadores há três rodadas do fim da primeira fase e se viu obrigado também a procurar um novo treinador, pois Nenê Vannucci havia pedido para deixar a equipe após a sexta rodada, sentido que precisava de um tempo para reorganizar os planos traçados no início do ano. Com isso, Jonas Siqueira assumiu o comando técnico.

As mudanças surtiram efeito e a Serpente começou uma reação, com uma vitória, um empate e uma derrota nas três últimas rodadas, conquistando o mesmo número de pontos que havia obtido nas seis rodadas anteriores, obtendo a vaga para a fase de grupos com a sexta posição na classificação.

Descansado e com novas ideias, o treinador Nenê Vanucci voltou para a segunda fase e já conseguiu colocar sua nova filosofia em prática, tendo conseguido segurar o Paranavaí no último domingo (23), no Estádio Waldemiro Wagner.

“Em relação ao nosso primeiro jogo no campeonato foram de três a quatro mudanças no time titular com os reforços que chegaram. Já eu entrei com outra formação em campo, com uma proposta diferente e, analisando os números, do scout técnico da partida, nosso time se comportou bem defensivamente e ofensivamente. Agora é contra o Maringá e sabemos que vai ser complicado, mas podemos sair com resultado positivo e seguir em busca do acesso à primeira divisão”, diz o Nenê.

Rivais conhecidos

Com oito vagas em disputa entre dez times, a primeira fase da Segundona 2017 serviu para as equipes se estudarem para esta segunda fase, já que apenas duas ficaram de fora da sequência da competição. “Aqui, na Segunda Divisão do Paranaense, não tem análise de desempenho. É mais na base da conversa com outros profissionais para se informar das qualidades e dos defeitos das equipes adversárias, para ter parâmetro de como será dentro de campo. Agora, como todos os times já se conhecem, fica mais fácil para alinhar taticamente a equipe de acordo com o adversário”, diz o treinador do Cascavel, Nenê Vannucci.

Conta negativa

A dificuldade para as equipes disputar a Segundona do Paranaense não está apenas dentro de campo, mas, principalmente, fora dele. Fora as despesas com folha salarial, viagens, hospedagem e alimentação, há também os custos com arbitragem, o que os times sempre esperam poder quitar com a renda vinda das arquibancadas. No caso do Cascavel CR, entretanto, são mais números de saída no caixa. Em quatro jogos em casa na competição este ano, o CCR já acumula R$ 11.406,65 de déficit apenas com despesas relacionados à arbitragem, taxas e impostos. São quase R$ 3 mil saindo dos cofres por jogo, que tem levado em média 124 pessoas ao Estádio – no total, o público da Serpente foi de 495 pessoas nos quatro jogos no Olímpico. Para este domingo (30), os ingressos custam R$ 20 para a área descoberta e R$ 40 para a área coberta, ambas com meia-entrada, de R$ 10 e R$ 20, respectivamente.

 

Deixe uma resposta