Resultado da inadimplência: Consamu acumula dívida de R$ 2,4 milhões

Prefeituras à beira de um colapso refletem o abismo que a crise econômica nacional tem gerado, especialmente os pequenos que viram suas receitas se esfarelar e reduzirem drasticamente à exemplo do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) que todos os anos segue em uma linha decrescente.

A falta de aporte, principalmente da União, tem provocado graves consequências a serviços básicos. Na saúde, gestores não têm dado conta de quitar as parcelas do Consamu (Consórcio Intermunicipal Samu Oeste), que teriam de ser depositadas todos os meses. Conforme o diretor geral do Consórcio, José Peixoto da Silva Neto, a inadimplência é recorrente e já soma R$ 2,4 milhões. Seis municípios foram ajuizados e aguardam resultado das ações de cobrança. “Inicialmente, não há risco de suspender os serviços aos devedores. Será encaminhado ao Conselho Deliberativo o estudo e análise de quem está pendente com o Consórcio e em seguida, trazer estes resultados à assembleia para que seja encontrado o melhor caminho para essas prefeituras inadimplentes”, explica Peixoto. O diretor geral ressalta que a intenção não é excluir nenhum dos 43 municípios do Consamu, mas sim, criar soluções que facilitem o pagamento da dívida.

Números

Desde sua implantação, em novembro 2013, o Consamu realizou 205.584 atendimentos entre os 43 municípios consorciados do Oeste. O helicóptero utilizado para serviços de urgências médicas de alta complexidade fez 1.004 voos, conforme estatísticas publicadas pelo Consórcio. A aeronave foi cedida pelo Governo do Estado e auxilia nos resgates desde 2014.

Posse

A posse da nova diretoria do Consamu foi realizada ontem na Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná). O prefeito de Palotina, Jucenir Leandro Stentzler, assume o cargo junto com o vice Giovani Wolf, prefeito de Corbélia. Como membros da diretoria estão Germano Bonamigo (Céu Azul), Heraldo Trento (Guaíra), Renato Tonidandel (Santa Lúcia), Marcio Rauber (Marechal Cândido Rondon), Norberto Pinz (Nova Santa Rosa) e Gilberto Salvador (São José das Palmeiras).

Conforme Stentzler, o mandato inicia com muitos desafios. “Um deles é dar sequência ao trabalho que já havia sido desempenhado, além de levantar as necessidades dos municípios bases e dos que nos relatam que não são atendidos da forma como deveriam. Pretendemos também investir em mais infraestrutura aos nossos colaboradores para que o atendimento à comunidade seja ainda melhor”, relata.

Reportagem: Marina Kessler

Fotos: Vandré Dubiela

 

 

 

Deixe uma resposta