O que vem do campo: 30% do PIB vêm das mãos de 5% da população

Reportagem: Marina Kessler

Fotos: Vandré Dubiela

De descendência italiana, o agricultor Valter Dalgalo, de 62 anos, morador do Distrito de Espigão Azul, em Cascavel, conta que trabalhar na lavoura já é uma tradição familiar. O pioneiro foi seu bisavô, que veio da Itália para o Brasil, e se dedicou exclusivamente à agricultura. A partir daí, a atividade passou de geração em geração, e hoje ensinada aos filhos de Valter. “Toda a minha família trabalhou na lavoura. Lembro de começar a trabalhar aos sete anos e desde lá nunca mais parei. Não tive oportunidade de estudar e continuei a fazer o serviço que meu pai fazia. Hoje, um dos meus filhos me ajuda e o outro, que também é agricultor, trabalha por conta. Apenas minha filha saiu de casa para estudar, em Cascavel”, relata Dalgalo.

O estilo de vida do homem dedicado totalmente ao campo  foi também a forma escolhida de viver de 17,5 mil habitantes de Cascavel. Dos 316.226 moradores do município, 5% estão na zona rural e comemoraram ontem, em grande estilo, o Dia do Campo. Em seis anos, com base na estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população rural cresceu 8,3%.

Conforme a Secretaria de Agricultura de Cascavel, a principal atividade agrícola do município é a avicultura, que rendeu R$ 483,3 milhões em 2015. Além disso, a produção de grãos é também muito expressiva. Entre os produtos de destaque estão: a soja, que na safra 2015/16 obteve um faturamento de R$ 389.261.456,49 e o milho, que neste mesmo período rendeu R$ 165,3 milhões ao município, segundo a secretaria.

O PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio em Cascavel é de R$ 2,8 bilhões, próximo de 30% do total faturado no município. O setor tem ainda outra importante participação, onde são gerados 30% dos empregos de toda a cadeia produtiva da cidade.

 

DESABAFO

Falta incentivo ao produtor rural

Dalgalo, que está plantando 94 alqueires com trigo, lamenta que, embora a atividade agropecuária seja fundamental à população, falta incentivo ao setor. “Ao contrário de outros países, o produtor rural brasileiro não tem apoio do governo, principalmente por não serem respeitados os preços mínimos do trigo, por exemplo”, afirma.

O cenário atual não anima muito o agricultor, que reclama dos valores definidos na hora da negociação. “Planto trigo, soja e milho, e sempre é difícil negociar. Não é levado em consideração que temos gastos com mão de obra, produtos, maquinário. Com incentivo necessário, seria possível reduzir esses custos e melhorar o rendimento”, diz.

VBP 2017

Um dos índices que mede a frequência anual calculado com base na produção agrícola municipal e nos preços recebidos pelos produtores é o VBP (Valor Bruto da Produção Agropecuária). O levantamento leva em conta os produtos da agricultura, pecuária, silvicultura, extrativismo vegetal, olericultura, fruticultura, plantas aromáticas, medicinais, ornamentais, pesca, entre outras atividades.

De acordo com a Secretaria de Agricultura de cascavel, o VBP de 2017 ainda não está fechado. A estimativa para a safra 2016/17 é de que haja uma recuperação dos valores, superando a crise ocorrida em 2016 no setor agropecuário. A projeção é de que o VBP deste ano feche seja acima de R$ 1,6 bilhão.

 

****NÚMEROS EM DESTAQUE

Avicultura R$ 483.340.147,45

Soja R$ 389.261.456,49

Milho         R$ 165.334.498,96

 

O público e o privado

Em Cascavel, as formas de incentivo ao homem do combate, inclusive para combater o êxodo rural, ocorrem por meio de programas que objetivam o aumento de produção e renda ao produtor. Segundo a Secretaria de Agricultura, a proposta é sempre melhorar as condições de vida e moradia do agricultor.

“Estamos realizando um projeto de longo prazo, de manutenção e conservação das estradas rurais, ou seja, um projeto de melhoria da infraestrutura rural, com atividades que trarão mais lucro aos produtores como piscicultura, suinocultura, bovinocultura de leite e corte, programas de integração lavoura/pecuária, e na produção de holericultura, procurando assim,  proporcionar um aumento significativo de produção e renda”, conforme a pasta.

 

 

Deixe uma resposta