Nos braços da Cultura

Reportagem: Juliet Manfrin

Fotos: Lorena Manarin

Volta e meia você deve ouvir alguém falar que as opções culturais em Cascavel são escassas. Que faltam espetáculos ou que eles são direcionados a determinados públicos ou ainda que são caros demais. O que não se pode negar é que este perfil está mudando, ao menos quando o assunto é conhecimento sobre o que está acontecendo pela cidade.

Claro que os eventos modinha, como cantores, humoristas e yutubers celebridades são sempre os mais procurados e mais falados nos meios de comunicação. Também costumam ser mais caros e limitam seu acesso.

Mas se você se encaixa em um dos públicos que tem pouca grana – ou nada de grana para gastar -, mas quer ficar antenado nas atividades culturais, não dispensa um bom espetáculo com entrada livre, ingressos a valores simbólicos, gosta de ler um bom livro  sem precisar comprá-lo, existe uma Cascavel cultural que espera por você e a gente vai te dar uma forcinha.

Você sabia que há a Casa de Cultura na Zona Norte, no Loteamento São Francisco? Na região norte o Centro da Juventude, localizado no Bairro Interlagos, tem opções para jovens e adolescentes em diversas áreas artísticas e culturais. Todas de graça.

Do outro lado da cidade, na região oeste, tem o CEU das Artes, no Bairro Santa Cruz. No Cascavel Velho há a Biblioteca Sucursal. A Igreja do Lago, na Região do Lago, é um ponto de referência para a história e a cultura do município.

O Centro Cultural Gilberto Mayer é palco de inúmeros espetáculos e exposições todas as semanas. Muitas com acesso livre.

O Teatro Municipal Sefrin Filho é outro ponto de referência à cultura cascavelense, assim como a Praça Parigot de Souza, no Bairro Country e o Palco aberto no Calçadão da Avenida Brasil.

Mas aí você pode se perguntar: estrutura tem, mas quais são as opções, o que posso encontrar nestes locais?

Vamos lá. O Hoje foi pesquisar.

Neste momento, os cursos que estão sendo ministrados são pelo projeto CulturAção e no primeiro momento da atual gestão são os projetos de Iniciação as Artes com aulas em diversos pontos culturais.

São aulas de Artes Visuais, dança (folclore de imigração e hip-hop), teatro e musicalização com oficinas de violão, violino, flauta doce e canto. Ficou interessado ou interessada? Vamos lhe mostrar os caminhos para chegar até eles. Veja o contato no fim desta matéria.

Chegaram lá

Este caminho, por exemplo, já foi percorrido por pelo menos quatro mil pessoas que passam pelo Centro Cultural Gilberto Mayer todos os meses. No Teatro Municipal Sefrin Filho são pelo menos 12 mil pessoas por mês entrando e saindo. Bacana não é? E não para por aí. A Secretaria Municipal de Cultura estima que nos espaços públicos são realizados em torno de 14 espetáculos  todos os meses.

Nos bairros a Secretaria Municipal de Cultura cuida de toda a parte cultural do Projeto Território Cidadão e também desenvolve o projeto CulturAção que está em sua primeira fase, a de iniciação de artes, porém em processo de implantação para a criação das fases intermediárias das áreas artísticas e instalação dos corpos estáveis do município com alunos do projeto. O Culturação atende no Teatro Municipal, no CEU, no CJ, na Casa da Cultura Zona Norte, na Unioeste, no Hospital Universitário e em algumas escolas municipais.

Leia na biblioteca

Para quem não dispensa uma boa leitura, tenha certeza, ir à biblioteca não é coisa do passado. Muito pelo contrário. A Biblioteca Municipal Sandálio dos Santos conta com aproximadamente 80 mil exemplares e tem um público de 100 a 200 visitantes todos os dias.

O sistema de carteirinhas, aquela que dá o direito de emprestar o livro, levá-lo para casa e ler tranquilamente para depois devolver, foi atualizado e está sendo realizando um novo cadastramento, até o momento estão 3.329 usuários, mas esse número vai aumentar, pois todas as pessoas que têm a carteirinha antiga e realizam um novo empréstimo são inseridas ao novo software. Vale lembrar que pra frequentar a biblioteca não é necessário ter carteirinha e ela só é solicitada para empréstimos de livros.

Vamos caminhar

Quanto àquilo que falta ou que é conquistado gradativamente, a Pasta reforça que as principais ações para avançar na política pública de cultura de Cascavel é necessária a implementação, de fato, do sistema municipal de cultura, que é composto pelas seguintes ações: Conselho Municipal de Políticas Culturais, Fundo Municipal de Cultura, Conferência Municipal de Cultura e o Índice de Indicadores Artístico-culturais. “Achamos necessário também, como meta ideal, um aumento do orçamento anual da Secretaria de Cultura ao valor correspondente a 1% do orçamento do Município. Atualmente o destinado no orçamento vigente, corresponde a 0,54% do orçamento do Município”, reforça a Secretaria.

E ainda que a economia apresente um quadro de recessão grave, a Cultura afirma que esta se mobilizando para realizar parcerias nas esferas do Governo Federal, Estadual, Sistema S, institutos culturais, iniciativa privada, comunidade artística e produtores de arte e cultura de Cascavel para ampliar o leque. Oferecer opções a baixo custo ou mesmo gratuitas para todos os cascavelenses é um dos caminhos prioritários. Afinal, a formação de todos depende de suas referências culturais.

 

Deixe uma resposta