Júri Meneghel: Advogado mantém tese de legítima defesa

Teve início às 9 horas, na 2ª Vara do Tribunal do Júri em Curitiba, o julgamento do ruralista Alessandro Meneghel. Ele é réu confesso do assassinato do policial federal Alexandre Drummond Barbosa, em abril de 2012.

À imprensa, o advogado Cláudio Dalledone disse que manterá a tese de legítima defesa, falando que seu cliente “matou para não morrer”. Já a acusação, que é feita pelo promotor Lucas Cavini, do Ministério Público, disse que “há provas suficientes para a condenação”.

A primeira testemunha a ser ouvida é o delegado da Polícia Federal, Rivaldo Venâncio. Ele era o chefe da delegacia de Cascavel na época do crime e atua como testemunha de acusação de Meneghel.

O julgamento de Meneghel deve terminar amanhã, quando será proferida a sentença. Ao todo cinco testemunhas, tanto de acusação quanto de defesa, devem ser ouvidas. Depois será a vez do ruralista e então começa o embate entre a defesa e a acusação. Se condenado, Meneghel poderá ficar até 30 anos na prisão.

Fotos: João Gimenes/Rede Massa

Deixe uma resposta