Janeiro a março: O trimestre mais violento em três anos

Reportagem: Tissiane Merlak

Foto: Vandré Dubiela

O mês de março ainda nem terminou, mas os números referentes às mortes violentas de 2017 já superaram os dados dos últimos três anos. De acordo com um levantamento feito com base nos registros do Hoje, o primeiro trimestre de 2017 já é o mais violento dos últimos três anos.

Nos primeiros meses deste ano foram 24 mortes violentas, sendo três latrocínios, um confronto com a polícia e os demais foram homicídios. O número é 26% maior que no mesmo período do ano passado, quando Cascavel contabilizou 19 mortes violentas. Deste total foram quatro confrontos e um latrocínio. Os demais, assassinatos. Conforme dados do Hoje, os números de 2017 são superiores também a 2015, que registrou 20 mortes, destes dois confrontos policiais.

Este ano, o mês mais violento foi janeiro, com três latrocínios, um confronto e sete assassinatos. Na sequência vem março, com nove homicídios até o momento e em fevereiro quatro.

Comparando março com o mesmo mês do ano passado, o crescimento no número de mortes violentas foi de mais de 28%, já que em 2016 Cascavel registrou sete mortes, destas foram dois confrontos e um latrocínio. Além das mortes de março, no ano passado foram registradas quatro mortes em janeiro, uma delas em confronto e outras oito, uma também em confronto, no mês de fevereiro.

Em 2015, o mês de março foi o mês mais violento do trimestre, com dez assassinatos. Janeiro vem na sequência com seis homicídios e fevereiro fechou com quatro mortes, duas delas em confrontos.

Região

Mesmo com a UPS (Unidade Paraná Seguro) instalada no Bairro Interlagos, o policiamento ostensivo não impediu que, no trimestre, a região fosse a mais violenta no trimestre este ano. Conforme o levantamento da reportagem, das 24 mortes violentas, 50% foram registradas lá. Foram três no Interlagos, três no Floresta, uma no Brazmadeira, duas no Melissa, uma no Julieta Bueno, outra no Morumbi e outra no Periolo.

Na segunda colocação está a região sul, onde será instalada na primeira quinzena de abril a segunda unidade da UPS em Cascavel. Lá foram registradas mortes nos bairros Cascavel Velho (1), Universitário (2), 14 de Novembro (1), Jardim União (1) e Parque São Paulo (2), totalizando sete casos.

A região leste contabilizou uma morte no Gramado e a oeste duas nos bairros Esmeralda e Neva. Na área rural foram registradas as outras duas mortes.

Março

Com crescimento de mais de 28% nas mortes em comparação com o ano passado, março contabilizou nove assassinatos. A primeira morte foi a de Rogério Machado Bacelos, de 40 anos, morto no dia 8 com um golpe de espeto após uma discussão no Bairro Universitário, por causa de um celular. Os dois acusados do crime, Jair Antônio Farias e Ricardo Folmann, foram presos na sequência pela Polícia Militar.

Outro crime já elucidado é a morte, no dia 11, de Maurício Ribeiro Barbosa, 19 anos, no Bairro Cascavel Velho. O acusado do crime é o primo de Maurício, Israel da Silva Rodrigues Barbosa, que segundo a polícia foi até a casa da vítima e atirou nela enquanto o jovem estava dormindo.

Já a morte de Luciano Francisco Gonçalves, de 43 anos em um bar no Floresta pode ter outro desdobramento nos próximos dias. Além de Luciano, um amigo dele, Fábio Heidecke também foi atingido. De acordo com a delegacia de homicídios, esse crime ocorrido no dia 11 pode ter ligação com a morte de João Jonathan Willian Grobes, de 20 anos, na quarta-feira, dia 29, no Floresta. O acusado do crime, Adriano Heidecke, foi preso horas depois em Céu Azul.

Outro homicídio já “derrubado” pela polícia é o de Clayton Bruguer Martins, morto a tiros na terça-feira. O acusado do crime, Cassiano Rodrigues de Oliveira, também já foi preso.

As outras vítimas do mês de março são um adolescente, de 15 anos, Valdenir Everaldo Fachinello, Alisson Javari e Diego Bruno Gonçalves.

 

2017

Janeiro       11

Fevereiro    04

Março         09

 

2016

Janeiro       04

Fevereiro    08

Março         07

 

 

Deixe uma resposta