Grosso Calibre: Bandidos reforçam armamento e polícia está em alerta

Reportagem: Tissiane Merlak

Foto: Lorena Manarin

Foi-se o tempo em que os bandidos de Cascavel usavam o famoso 38 na cintura para cometer seus crimes. Agora, ao invés do trezoitão eles estão cada dia mais armados e, a cada ocorrência, as equipes policiais se deparam com uma situação nada comum.

Conforme denúncia feita à reportagem do Hoje, por conta da instalação da UPS (Unidade Paraná Seguro) na região sul há dois meses, e dos trabalhos prestados na UPS da região norte, a criminalidade migrou para outra região: a oeste, mais especificamente no Bairro Santa Cruz.

Segundo o denunciante, a população do bairro está com medo de sair de casa. “Temos uma espécie de toque de recolher. A maioria dos moradores vive aqui há anos e quando vem alguém de fora, logo percebemos. Nos últimos meses essas pessoas mal encaradas têm dominado o bairro e está cada dia mais difícil ficar tranquilo”.

De acordo com o homem, que por questões de segurança preferiu não se identificar, escondidos em várias casas do bairro estão armamentos de grosso calibre. “Pelo que sabemos têm espingardas, metralhadoras e até fuzis. Aquele revólver simples, que antigamente era comum, como o 22, por exemplo, acho que já nem existe mais”.

O Hoje entrou em contato com o comando da Polícia Militar e o reforço no armamento da criminalidade não só em Cascavel, mas em toda região, foi confirmado pelo capitão Divonsir Santos, responsável pela 1ª Companhia da Polícia Militar em Cascavel.

Para o capitão, as quadrilhas estão se armando cada dia mais. “Não só a Polícia Militar, mas a Polícia Federal, a Polícia Civil e todas as forças de segurança que atuam em nossa região têm esse conhecimento e estão fazendo o enfrentamento com esses criminosos”.

Ele lembra os confrontos recentes ocorridos no Oeste, em que os indivíduos estão com armas de grosso calibre. “É uma realidade hoje. Não adianta tapar o sol com a peneira. Os criminosos estão mais armados, mais equipados, e a polícia tem tentado fazer frente a essa demanda crescente”.

Com o intuito de reforçar a segurança, o comandante disse que recentemente a Polícia Militar adquiriu vários fuzis, inclusive para Cascavel. “As equipes estão nas ruas diariamente com fuzis. Antigamente era só a pistola, mas hoje temos policiais com metralhadoras, espingardas calibre 12 e outras armas de grosso calibre”.

Proposta

Dentre as armas utilizadas pelos criminosos, muitas são apreendidas em operações policiais. A ideia do capitão Divonsir é gestionar com Poder Público local, para que esse armamento seja repassado ao setor de segurança pública do município. “Queremos ver a possibilidade dessas armas que são apreendidas em Cascavel, por exemplo, serem repassadas para a Polícia Militar, Civil e demais forças de segurança. Vamos tirar as armas do marginal e colocar nas mãos do policial”.

Ele ressalta que os policiais estão equipados e prontos para fazer frente ao reforço da criminalidade. “Tanto é que o resultado das ocorrências policiais tem mostrado isso. Os indivíduos têm tentado levar proveito em diversos crimes, mas não têm obtido sucesso”.

Migração

Questionado sobre o caso específico do Bairro Santa Cruz, o capitão disse que recentemente o policiamento em Cascavel foi dividido em setores, com um oficial em cada um deles. “O Santa Cruz é uma região complicada sim, tem seus índices elevados [de violência], mas está controlado porque há policiamento naquela região. Sabemos que existe um movimento para a instalação de uma UPS no Santa Cruz, mas essa é uma decisão governamental, que não cabe à Polícia Militar.”

 

Deixe uma resposta