Greve geral demonstra força da classe trabalhadora, aponta FSC

Trabalhadores e trabalhadoras de todo país deram uma demonstração da força daqueles que realmente produzem a riqueza desta nação. Milhares de pessoas em várias cidades do Brasil foram as ruas contra as reformas trabalhista e previdenciária proposta pelo governo Michel Temer (PMDB) em atos convocados pela unidade das cinco centrais sindicais do país.

Em Cascavel aproximadamente dez mil pessoas foram às ruas na Greve Geral e marcharam pelo Calçadão da Avenida Brasil contra o retrocesso e retirada de direitos históricos da classe trabalhadora. O ato foi concentrado em frente à Catedral e contou com a presença de trabalhadores de diversas categorias, com a representação de mais de 40 sindicatos presentes, movimentos sociais do campo e da cidade, estudantes e coletivos independentes.

Os organizadores da manifestação em Cascavel ressaltaram que a mobilização foi uma demonstração de força da classe trabalhadora marcada pela diversidade e pela alta representatividade do setor público e da iniciativa privada. “Foi uma manifestação pacifica e contundente contra as reformas deste governo ilegítimo, que só quer destruir os direitos das pessoas que vivem do trabalho e querem se aposentar com dignidade”, avaliou Laerson Matias, coordenador do Fórum Sindical de Cascavel.

No Paraná, 92 categorias aderiram à mobilização contra as reformas trabalhista e previdenciária. Em Curitiba, a marcha da classe trabalhadora reuniu 20 mil pessoas. Na região Oeste também foram registradas mobilizações em Foz do Iguaçu e Toledo, onde também participaram trabalhadores de Palotina, Assis Chautebriand, Guaíra e Marechal Cândido Rondon. A greve geral também mobilizou trabalhadores do campo nos municípios de Laranjeiras do Sul e Quedas do Iguaçu.

 

 

Foto: vandré Dubiela

Deixe uma resposta