Gramado: recadastramento socioeconômico apontará real vulnerabilidade

A Prefeitura de Cascavel – por meio das secretaria de Ação Comunitária, de Assistência Social e de Planejamento e Urbanismo – em conjunto com a Defensoria Pública do Paraná, iniciou nesta quarta-feira o recadastramento socioeconômico das famílias que residem na conhecida “área invadida” do Jardim Gramado, na região Leste da cidade, um problema que se arrasta há anos em Cascavel e que só  cresce a cada novo pedido de reintegração de posse da área. Como mais pessoas entraram no local nos últimos meses após o pedido de realocação dos moradores antigos, este novo cadastro tem o objetivo de apontar o número de pessoas que moram no local e a real vulnerabilidade de cada família.
“É um trabalho que busca soluções. Sofreu a intervenção da Promotoria e agora vai mostrar como é a situação dessas famílias que invadem áreas públicas do Município. A partir do número apontado pelo cadastramento a Prefeitura poderá traçar um planejamento do que será feito”, explica o secretário de Ação Comunitária, José Carlos Costa, o Cocão.
Desde o dia 26 de janeiro deste ano, em conjunto com a Defensoria  Pública, a Prefeitura discute alternativas para evitar que numa eventual reintegração de posse as famílias fiquem à mercê da própria sorte. Ocorre que não há um perfil único dos moradores. Alguns construíram moradias no local e buscam negociar com o proprietário da área; outros têm renda que pode ser enquadrada em programas habitacionais; outros estão em situação de extrema vulnerabilidade e há quem entrou na área após o início do processo. “O prefeito precisa saber quais são as famílias, de onde vêm, a renda familiar que possuem e a situação real de cada uma. Nem todas elas fazem parte do processo de desapropriação. Muitas delas entraram depois e este levantamento socioeconômico vai nos mostrar como o trabalho deve ser feito”, detalhou Cocão.
Trabalho continua
Em fevereiro foi realizado um levantamento em resposta à Defensoria. Foram contabilizadas 233 famílias. Este é o número aguardado para o recadastramento que continua amanhã (23). Apenas um membro da família é suficiente que compareça na Secretaria de Ação Comunitária. Deve levar toda a documentação familiar. O atendimento é das 9 às 12 horas e das 13h30 às 17h30.
Encaminhamentos
Concluído o cadastro, os dados serão tabulados pela Secretaria de Planejamento e Urbanismo. No dia 3 de abril haverá nova reunião com o defensor público Ricardo Menezes para debater os encaminhamentos de propostas por parte do Município, a partir de uma escala de prioridades.

 

Deixe uma resposta