Falha em sistema dificulta estatística de vacinação contra o HPV

Quase dois meses após o início da imunização, as estatísticas oficiais não foram repassadas. O problema está no Sistema de Integração do Programa Nacional de Imunizações que não compila os dados reais das vacinações.

Para se ter ideia da dificuldade, entre os 25 municípios da 10ª Regional de Saúde de Cascavel apenas nove conseguiram encaminhar os dados com o número exato de meninos que receberam a primeira dose da vacina. O restante ainda não teve o cenário atualizado. “Até o momento são 198 doses aplicadas, porém, o número não é fidedigno, já que há este problema no sistema”, afirma a coordenadora do programa de imunização da 10ª Regional, Janice Barazeti. A cobertura vacinal da regional de saúde é de 10.182 meninos, 5.043 deles na faixa dos 12 anos e 5.139 com 13 anos.

Estoque

Na 10ª Regional de Saúde de Cascavel estão disponíveis 5.800 doses da vacina contra o HPV, que podem ser aplicadas tanto em meninas quanto em meninos. A quantidade em estoque é suficiente para atender os municípios jurisdicionados por até um mês, conforme cronograma. O último lote recebido foi na segunda-feira (20), com 5,2 mil doses.

No Paraná

Conforme a Secretaria Estadual da Saúde, 160 mil meninos serão vacinados no Paraná. No Oeste, entre as regionais de Cascavel, Foz do Iguaçu e Toledo, a expectativa é imunizar 24.354 crianças nesta faixa etária. Até o ano passado, o SUS só disponibilizava a vacina às meninas. Com isso, o Brasil se torna o primeiro país da América do Sul e o sétimo do mundo a oferecer a vacina a meninos em programas nacionais de imunizações. A meta do Ministério da Saúde é proteger 3,6 milhões de meninos somente neste ano.

A vacinação será feita em duas doses, com intervalo de seis meses. Para os que vivem com HIV, o esquema vacinal é de três doses (intervalo de 0, 2 e 6 meses), disponível para a faixa etária de 9 a 26 anos.

Deixe uma resposta