Dia Mundial de Combate: Regional tem 11 casos de tuberculose confirmados

De janeiro a março deste ano, a 10ª Regional de Saúde de Cascavel confirmou 11 casos de tuberculose entre os 25 municípios de sua área de atuação. Conforme levantamento do setor de epidemiologia, quatro foram registrados em Cascavel, o local com o maior número de casos até o momento. Em seguida estão Três Barras do Paraná e Vera Cruz do Oeste, com duas confirmações cada, Jesuítas (1), Santa Lúcia (1) e Lindoeste (1). Os dados, de acordo com o enfermeiro Daniel Loss, ainda são preliminares.

Em todo o ano passado, a regional notificou 86 casos da doença. Das confirmações, foram registrados cinco óbitos, todos em Cascavel.

A série histórica da 10ª Regional de Saúde mostra ainda que desde 2007, quando a doença começou a ser monitorada, 1.077 pacientes passaram por tratamento. Cascavel responde por 59% do total, com 676 confirmações no período.

Conforme Loss, a tuberculose pulmonar é caracterizada pela tosse com expectoração por três ou mais semanas, febre, perda de peso e apetite, e/ou com imagem radiológica sugestiva de tuberculose. “A transmissão da tuberculose é aérea e se dá através de gotículas liberadas quando o paciente tosse. Por isso, a importância do diagnóstico e tratamento precoces, com o intuito de curar e também evitar novos casos”, explica.
Tratamento

O tratamento da tuberculose é fornecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e deve ser iniciado logo após o diagnóstico, feito em todos os sérvios de saúde, inclusive as Unidades Básicas. “O tratamento […] varia de acordo com o caso e é realizado normalmente durante seis meses caso o paciente faça tudo corretamente. Já nos primeiros dias o paciente deixa de transmitir a doença e isso é muito importante”, afirma Loss.

O enfermeiro lembra que a vacina BCG, dada ainda ao nascer, previne as formas graves da tuberculose.

Campanhas, especialmente no Dia Mundial de Combate à Tuberculose, lembrado hoje, são feitas para conscientizar a busca das Unidades Básicas de Saúde caso aparecem os sintomas. “São distribuídos materiais educativos e informativos, e também realizamos anualmente capacitações com os profissionais de saúde. Ontem, em Curitiba, por exemplo, foi promovido um encontro com profissionais que são referência para a nossa regional nos cuidados com esses pacientes para atualização e discussão da tuberculose no Paraná”, ressalta.

 

 

Reportagem: Marina Kessler

 

 

Deixe uma resposta