Desafogar processos Ministério Público realiza mutirão para

Reportagem: Tissiane Merlak

Foto: Vandré Dubiela

Um mutirão de julgamentos começa na próxima segunda-feira em Cascavel. Ao todo irão a júri popular 34 casos envolvendo homicídios, tentativas de homicídios e crimes de trânsito ocorridos na cidade nos últimos anos.

Em entrevista coletiva, o promotor Alex Fadel, da 16ª Promotoria, citou que o objetivo é literalmente desafogar os processos que estão parados há muitos anos. “A partir da criação da nova Vara Criminal de Cascavel, em dezembro do ano passado, um Juiz de Direito, uma equipe técnica com assessores, escreventes, estagiários e outros servidores, passou a cuidar exclusivamente de crimes de trânsito e crimes dolosos contra a vida. Por conta disso, toda a pauta de julgamentos está sendo reestruturada”.

Conforme o promotor, anteriormente a 1ª Vara Criminal era responsável por vários tipos de delitos. “Eles cuidavam de tudo: latrocínios, roubos, estupros, homicídios e, consequentemente por conta dessa demanda, julgamentos pelo plenário do júri estavam sendo marcados para 2019. Se seguíssemos nesse ritmo, um caso que aconteceu hoje, julgaríamos somente depois de 2020”.

Fadel comentou ainda que os 34 julgamentos serão feitos no Tribunal do Júri do Fórum de Cascavel, pela questão estrutural. “Foi montada uma estrutura para que os jurados, por exemplo, que ficam das 8H até as 22 h no plenário, tenham certo conforto”.

Segundo ele, haverá dias em que serão feitos três julgamentos. “Serão três pessoas, três processos que serão extintos, o que é raríssimo de se ver em qualquer lugar do Brasil”.

Questionado em relação ao que teria motivado a realização desse mutirão específico em Cascavel, o promotor ressaltou a grande demanda. “Desde o dia 23 de janeiro, quando iniciamos os julgamentos de 2017, até o fim de junho, serão 104 júris. Além disso, temos mais 150 processos prontos para serem julgados”.

De acordo com o promotor, os 104 julgamentos que serão feitos ao longo do primeiro semestre de 2017 em Cascavel representam a média anual de cidades como Maringá, Londrina e até mesmo Curitiba. “Ou seja, em um semestre, a Comarca de Cascavel fará mais julgamentos do que diversas cidades bem maiores e que fazem durante o ano”.

Deixe uma resposta