Deficientes visuais cobram serviço no Centro de Apoio Pedagógico

Integrantes da Acadevi (Associação de Deficientes Visuais) de Cascavel se reuniram ontem em frente à Secretaria de Educação, em uma manifestação para defender o funcionamento do CAP (Centro de Apoio Pedagógico) do município.

Ainda durante a manhã, uma equipe foi recebida por representantes da secretaria que negou rumores de que as salas do centro seriam fechadas.

O CAP está instalado na antiga sede do Procon e é o principal local de apoio para alunos que têm deficiência visual. “Diante da falta de profissionais, a nossa preocupação era com o fechamento de duas salas de aula, mas fomos informados de que a Secretaria de Educação irá resolver essa questão”, afirma o coordenador de imprensa da Acadevi, Ivan de Pádua.

Ele disse ainda que apesar da reunião, a associação fará constantes vigílias pelo cumprimento da reivindicação.

Atualmente a Acadevi representa 400 pessoas com deficiência visual e de baixa visão em Cascavel. O coordenador de imprensa ressalta, no entanto, que o número de deficientes na cidade é maior e que inclusive há falta de conhecimento dos locais que prestam atendimento educacional a esse público.

“O CAP oferece trabalho pedagógico, de estímulos visuais, entre outras atividades para atender as necessidades dos alunos. Por isso não queremos retroceder nossos direitos e lutamos para que o Município invista mais nessa área da educação e atenda a nossa demanda”, complementa. Entre os pedidos da associação também está a garantia de mais vagas em concursos públicos para o público com deficiência.

Romulo Grigoli

Foto: Lorena Manarin

 

Deixe uma resposta