Crise na saúde: audiência pública debate a questão no dia 24 de maio

A superlotação das UPAS (Unidades de Pronto-Atendimento), a demora por atendimento, a falta de leitos hospitalares, a regulação de leitos e os valores repassados pela tabela SUS aos médicos e hospitais. Estes são os temas principais da audiência pública que será realizada no dia 24 de maio na Câmara de Cascavel, às 19h30. O debate, que vem sendo organizado há mais de um mês, será promovido pela Comissão de Saúde e Assistência Social da Câmara, integrada pelos vereadores Parra (PMDB), Policial Madril (PMB) e Jorge Bocasanta (PROS).

Foram chamados a explicar os problemas e apontar soluções, os representantes de todos os poderes públicos envolvidos na questão: Prefeitura de Cascavel e secretária de saúde, 10º Regional de Saúde, deputados e vereadores, além do Poder Judiciário.

A crise na saúde pública municipal vem sendo objeto de discussões, fiscalizações e cobranças dos parlamentares desde o início do mandato, em janeiro de 2017. Recentemente, através de um requerimento, os vereadores foram informados de que 510 pessoas morreram nas Unidades de Pronto Atendimento entre 2015 e 2016. Destes 510 pacientes que vieram a óbito, 230 pessoas estavam clicadas na central de leitos aguardando uma vaga em hospitais.

“Precisamos exercer nossa função de legislar, mas principalmente de fiscalizar os serviços públicos prestados aos cascavelenses”, afirma Parra, que preside a Comissão. “Nosso papel também é criar espaços de debate que permitam à população cobrar diretamente das autoridades responsáveis, como é o caso da audiência pública que estamos organizando”, finaliza o vereador.

Deixe uma resposta