Criminalidade: Cascavel é a cidade com mais homicídios do Oeste

Reportagem: Tissiane Merlak

Nem mesmo a proximidade com a fronteira e a grande circulação de pessoas em Foz do Iguaçu fazem com que aquele município lidere o ranking de homicídios da região Oeste.

De acordo com dados coletados pelo Hoje nas Delegacias de Homicídios de Cascavel, Foz do Iguaçu e Toledo, o primeiro trimestre de 2017 deu a Cascavel a primeira colocação em um ranking nada satisfatório: o de homicídios.

Com uma população estimada em mais de 316 mil habitantes, o que faz com que Cascavel seja a mais populosa no Oeste, o município contabilizou 20 mortes nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano. O número é 43% maior do que no primeiro trimestre de 2016, quando foram registrados 14 assassinatos.

Já Foz do Iguaçu, porta de entrada para inúmeros ilícitos como drogas e armas, que historicamente era uma das mais violentas do Paraná e do País, teve uma redução de quase 47% no número de assassinatos. Conforme a Delegacia de Homicídios daquela cidade, no primeiro trimestre do ano passado foram 30 homicídios contra 14 neste ano.

Além da população estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em quase 264 mil habitantes, milhares de turistas e compristas circulam diariamente pela cidade.

Já a vizinha Toledo, que tem menos cerca de 134 mil habitantes conforme o IBGE, registrou no primeiro trimestre deste ano três assassinatos, um a mais do que no mesmo período do ano passado.

 

 

IDADE

Maioria dos mortos tem de 15 a 25 anos

Segundo dados apurados diariamente, a maioria das mortes em Cascavel é de pessoas com idade de 15 a 25 anos. Os jovens de 18 a 25 estão no topo da lista, com oito casos. Foram eles: Mayke Rodrigues Valença (19), Luana Ferreira Magalhães (23), Maicon da Silva (21), Maurício Ribeiro Barbosa (19), Alisson Javari (21), Diego Bruno Gonçalves (20), Clayton Bruguer Martins  (22) e João Jonathan Willian Grobes (20).

Já os adolescentes mortos no primeiro trimestre correspondem ao menor percentual de mortes violentas (assassinatos/confrontos com a polícia/ latrocínios): 12,5% do total.

A primeira das três mortes foi a de Tiago Henrique Ferreira Alvares, de 16 anos, morto em um confronto com a Polícia Militar no Bairro Universitário. Ele era suspeito do latrocínio contra o policial militar aposentado, Venilson Fonseca Dutra, no Bairro Tropical, em janeiro.

O segundo crime contra a vida envolvendo um menor foi o assassinato de Nicolas Ellert Luiz, de 16 anos, no Bairro Neva. Já o terceiro adolescente morto em Cascavel foi um menino de 15 anos, assassinado no Bairro Interlagos.

As outras mortes violentas são de pessoas com idade que varia de 26 a 40 anos, com sete no total e as outras seis com pessoas acima de 41 anos.

 

Outras mortes

 Conforme relatório diário atualizado pelo Hoje, além dos 20 assassinatos registrados em Cascavel, o município contabiliza outras quatro mortes violentas no primeiro trimestre de 2017. Foram três latrocínios e um confronto. No ano passado foram registradas cinco, sendo quatro confrontos com a polícia e um latrocínio.

 

 

Em abril

 Com um assassinato registrado em abril, o segundo trimestre de 2017 começa com números positivos no comparativo com o mesmo período do ano passado. Até o dia 20 de abril do ano passado haviam sido registrados oito assassinatos em Cascavel. Este ano, a única morte foi a de Augusto Ferreira de Lima, ocorrida no primeiro dia de abril, na esquina das ruas Amazonas e Dois, no Bairro São Cristóvão.

Augusto, de 40 anos, foi morto a pauladas e até o fechamento da edição ninguém havia sido preso. Conforme a polícia, as passagens pelo setor policial da vítima podem ter ligação com o assassinato.

 

 

********** EM NÚMEROS ********

 

MUNICÍPIO        2016 2017

Cascavel     14     20

Foz do Iguaçu      30     14

Toledo        02     03

 

Deixe uma resposta