Colheita do milho deve começar só em julho

O atraso da colheita da soja, ainda em fevereiro, complicou a situação dos produtores rurais da região. Muitos pretendiam seguir o zoneamento agrícola, mas os dias de atraso implicaram diretamente na colheita da segunda safra do milho, que deve iniciar somente em julho. “Temos somente 19% do milho safrinha em estágio de maturação. Esse provavelmente será colhido no fim de junho”, relata o técnico do Deral (Departamento de Economia Rural), J. J. Pértile.

Os outros 81% ficam para o mês de julho, quando completam o ciclo de desenvolvimento. Pértile lembra que o milho que se colhe agora é utilizado somente para a produção de silagem ao gado e não para a comercialização em grãos.

Conforme Pértile, esse atraso vai modificar as projeções de produção e produtividade da cultura. A estimativa inicial da Seab (Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento), regional de Cascavel, é de que a produção da segunda safra de milho seja de 2,4 milhões de toneladas, um acréscimo de 18% em relação à safra anterior, que chegou a 2,1 milhões de toneladas.

Pértile ressalta que ainda é cedo para falar em percentuais de queda, mas afirma que há probabilidade de redução. “O atraso [do plantio], o clima dos últimos dias, com muita chuva e frio, vai atrapalhar o desenvolvimento do milho, e consequentemente pode reduzir a produção”, diz. Nesta etapa, segundo o economista, o milho precisa de calor para se desenvolver normalmente.

 

Trigo

No Paraná, 55% do trigo já foi plantado, conforme boletim diário do Deral. Na regional de Cascavel, no entanto, o cultivo está bem avançado, com 95% da área total já plantada. A produção estimada de trigo entre os 32 municípios da Seab de Cascavel é de 312.480 toneladas, 18% a menos do que a safra passada, que produziu 382 mil toneladas. A produtividade média estimada pelo Deral é de 3.150 quilos por hectare, uma redução de 6% em relação à 2015/2016.

Foto: Vandré Dubiela

Deixe uma resposta