CISOP: Recursos para nova sede podem ser perdidos

O prefeito de Boa Vista da Aparecida e presidente do Cisop (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste do Paraná), Leonir dos Santos, fez um alerta na manhã desta segunda-feira a vereadores de Cascavel. Segundo ele, há perigo de a instituição de saúde perder recursos públicos estaduais e federais destinados à construção do novo ambulatório do consórcio, cujas obras estão em construção na avenida Brasil, proximidades da FAG.

A responsabilidade pela obra é da Secretaria Municipal de Saúde, já que a natureza jurídica do Cisop não permite receber recursos fundo a fundo, prerrogativa que cabe somente à administração pública municipal. No entanto, é o Cisop e a população que depende do SUS os maiores interessados em que a obra fique ponta o quanto antes. O prazo, segundo o presidente, é julho do próximo ano. “Parece bastante tempo, mas é um período curto diante de vários entraves que precisam ser vencidos, como a burocracia e os trâmites licitatórios”, destacou.

Paralisada há dois anos, a obra tem disponibilizados no caixa da Secretaria de Saúde de Cascavel em torno de R$ 8 milhões. No entanto, a empresa vencedora da licitação ofereceu um desconto de aproximadamente R$ 2 milhões para vencer a disputa, porém alegou estar em dificuldades financeiras e por isso abandonou a obra do jeito que ela está. O presidente manteve audiência com o secretário estadual de Saúde, Michelle Caputo, apontando sua preocupação com a situação e pedindo providências urgentes.

Na sessão da Câmara desta segunda-feira, Leonir atendeu ofício assinado pelos integrantes da CPI do Cisop, composta pelos vereadores Rômulo Quintino, Jorge Bocassanta e Jaime Vazatta. O presidente trouxe dados sobre o consórcio para os vereadores, como número de procedimentos, consultas, exames e outros serviços. “É preciso acabar, de uma vez por todas, com as diferenças políticas existentes entre o Legislativo e o Cisop, para o bem de todos. O que precisamos é marchar de mãos dadas para solucionar os gargalos que permanecem existindo na saúde”, destacou Leonir.

Outra questão abordada na reunião foi a possibilidade de implantar um sistema moderno de transporte de pacientes de Cascavel a Curitiba, situação que hoje encontra-se no limite das prefeituras, já que a despesa para tal ação só tende a aumentar. “Queremos disponibilizar um ônibus confortável para fazer o transporte diário de pacientes, bem como o encaminhamento a exames, consultas e clínicas na capital do Estado”, acentuou.

 

Deixe uma resposta