Caso Tatiele: Dois serão ouvidos em Foz do Iguaçu

Investigadores do Sicride de Curitiba começam nesta quinta-feira (30), em Foz do Iguaçu, a ouvir duas pessoas que podem ter ligação com o desaparecimento da menina Tatiele Terra Felipe, de 11 anos.

Em coletiva com a imprensa na 15ª SDP (Subdivisão Policial), a delegada do Sicride, Iara Laurek Dechiche, apenas uma das hipóteses para o crime está descartada: o tráfico de órgãos. “Para isso seria necessário toda uma sistemática, como o envolvimento de médicos e um hospital, por exemplo. As demais possibilidades são levadas em conta, seja o fato da menina estar desaparecida por rebeldia ou ainda morta”.

A ida para Foz do Iguaçu é motivada por um sonho manifestado por Tatiele, por várias vezes, de conhecer a cidade. “Além de ouvir essas duas pessoas, vamos divulgar o desaparecimento dela, ver se alguém viu ela lá”.

Questionada sobre os depoimentos que foram tomados em Cascavel desde segunda-feira, a delegada disse que familiares, amigos, vizinhos e até mesmo pessoas que tiveram algum contato esporádico com a menina foi ouvido novamente. “Nos próximos dias uma equipe com cães de busca, treinados exclusivamente para isso, virá a Cascavel e fará uma varredura nos locais por onde ela passou e em outros mais para, no caso dela estar morta, encontrar alguma coisa”.

 

Deixe uma resposta