Carteira assinada: Cascavel teve o pior desempenho do ano em abril

Reportagem: Marina Kessler

Fotos: Lorena Manarin

 Pela primeira vez no ano, Cascavel registra resultados negativos em relação à geração de empregos formais. De acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho divulgados nesta semana, foram extintas 39 vagas de trabalho durante todo o mês de abril, resultado das 3.295 admissões, superadas pelos 3.334 desligamentos no período.

Em contrapartida, o melhor desempenho do município quanto à criação de novos empregos ocorreu em fevereiro, período em que Cascavel fechou o mês com 585 postos de trabalho abertos. Neste período, as contratações da indústria da transformação estimularam as admissões, abrindo 301 novas vagas.

Na contramão deste cenário, inclusive do que se viu em grande parte do Paraná, a indústria foi a grande vilã em abril, fechando 112 postos formais de trabalho. O segmento, conforme o Caged, foi o que mais demitiu em abril. Em seguida está a construção civil, que realizou 380 formalizações, mas que acabou demitindo 476 trabalhadores. Desta forma, o saldo geral também ficou negativo e provocou a extinção de 96 vagas. A agropecuária cascavelense foi outro setor que demitiu mais do que contratou em abril. Segundo o levantamento, foram fechados 83 postos formais no mês passado, resultado das 61 contratações ante as 144 demissões. Fechando a conta, está o segmento da extrativa mineral, que eliminou uma vaga.

Quem contratou

Para dar um alívio ao trabalhador cascavelense, o setor de serviços tem mostrado sinais de recuperação. Em abril foram contratadas 1.244 vagas formais, que refletiram positivamente na criação de 187 postos de trabalho. Em seguida está a administração pública (55), o comércio (6) e os serviços industriais de utilidade pública (5).

 

Vagas abertas em 2017

Janeiro       191

Fevereiro    585

Março         506

Abril        -39

Fonte: Caged/Ministério do Trabalho

 

Acumulado do ano

De janeiro a abril deste ano, Cascavel gerou 1.201 vagas formais de trabalho, apesar dos resultados negativos do mês passado. Ao todo, foram 16.778 contratações e 15.577 desligamentos. No primeiro quadrimestre, a indústria da transformação lidera nas formalizações, com 543 vagas criadas. O saldo positivo é devido aos bons resultados obtidos em fevereiro e março, período em que o setor recebeu uma grande demanda de produção, principalmente da indústria alimentícia.

 

Deixe uma resposta