Bolsa Família : Repasse cai 35%

O número de famílias atendidas pelo programa Bolsa Família em Cascavel teve queda 35% no último ano. De 6.580 beneficiários em 2015 o total passou a 4.280. Neste ano, conforme o relatório do mês de fevereiro são 3.822 cadastros aptos a receber o benefício.

A gestão dos dependentes do programa ocorre por meio das Secretarias de Assistência Social, responsáveis pelo cadastro e comprovação de informações para que o repasse seja concedido a famílias em situações de pobreza.

A Secretaria de Assistência Social de Cascavel considera que a queda na cidade se deve ao aumento da fiscalização. “O fato de o Município estar com o Cadastro Único em pleno funcionamento tem possibilitado o aumento da fiscalização, bem como a atualização mais frequente dos dados das famílias, o que ocasiona mais desligamentos”, esclarece o secretário Hudson Moreschi Junior.

Pelo Governo Federal a orientação é que a atualização ocorra a cada 24 meses, entretanto, em Cascavel esse trabalho é realizado a cada ano.

Desafio

O desafio na nova gestão é atualizar dados de usuários levando em consideração que muitas famílias não têm o Cadastro Único e consequentemente, benefícios do Bolsa Família.  A cada dia procuramos vencer, é atualizar os dados dos usuários, tendo consciência que muitos beneficiados ainda não tem o Cadastro Único e consequentemente os benefícios do Bolsa Família. Já iniciamos o processo de descentralização do Cadastro Único pelo posto de atendimento no Território 1, no Bairro Cascavel Velho, e que terá sequencia em outras regiões da cidade”, esclarece o secretário.

De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em 2010, 8.270 famílias se enquadrariam no perfil do programa. No entanto, atualmente há 1.216 famílias em extrema pobreza e 2.557 em pobreza que recebem, em média, R$ 125,70 mensalmente.

A redução nos repasses

Para o diretor-presidente do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), Julio Suzuki, a redução na concessão dos benefícios também é atribuída à diminuição de famílias em situações de pobreza. “Isso nos faz acreditar que há um processo de obter renda, além dos programas, sobretudo, pelo próprio trabalho das famílias. Também percebemos que um quarto da população em situação de pobreza na região Oeste vem registrando ganhos de rendimentos superiores à média nacional”, avalia.

Romulo Grigoli

 

Foto: Lorena Manarin

 

  • Queda de 35% nos repasses;

 

  • De 6.580 beneficiários em 2015 baixou para 4.280 no ano passado;

 

  • Em fevereiro são 3.822 beneficiários em Cascavel;

 

  • Em 2010 8.270 famílias cascavelenses se enquadravam no perfil do programa;

 

  • Atualmente há 1.216 famílias em extrema pobreza e 2.557 em pobreza;
  • Famílias recebem mensalmente R$ 125,70 do Bolsa Família

Deixe uma resposta