Alerta : Confirmada a primeira morte por gripe em Cascavel

A coordenadoria da Influenza da 10ª Regional de Saúde de Cascavel confirmou ontem a primeira morte por gripe no município. Odair Veronese, de 50 anos, morreu na madrugada de domingo (16), na UTI do HUOP (Hospital Universitário do Oeste do Paraná), vítima de H3N2 sazonal, um subtipo do vírus Influenza.

Conforme a enfermeira e coordenadora regional da Influenza, Gerti Berto, a gripe H3N2 é também muito preocupante e apresenta os mesmos sintomas da tão temida H1N1. “No caso do paciente que veio a óbito foram realizados todos os exames para identificar qual vírus era”, relata.

Odair Veronese, que era motorista de ônibus, vivia em São Miguel do Oeste, cidade do Oeste catarinense, e passou mal durante uma viagem de trabalho. Em sua passagem por Cascavel, foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhado à UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) do jardim Veneza, de onde foi removido ao HUOP. No hospital, o paciente deu entrada em 22 de março como já havia noticiado o Hoje.

No Paraná, este é o segundo óbito por gripe neste ano. O primeiro foi registrado em Maringá, vitimando uma mulher de 79 anos, diagnosticada com Influenza B.

Números

Conforme a Sesa (Secretaria Estadual da Saúde), de janeiro a março deste ano foram notificados 386 casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) no Paraná, que engloba desde os cinco subtipos da Influenza e outras doenças respiratórias consideradas graves. Destes, 12 foram confirmados para Influenza, oito pelo vírus H3N2.

Até o momento, Cascavel possui dois casos confirmados de Influenza, um de H1N1 – o único do Paraná -, diagnosticado em um homem de 24 anos e que já recebeu tratamento e passa bem, e o caso de H3N2 de Odair Veronese.

Sintomas e tratamento

Os principais sintomas da gripe são febre repentina, tosse, dores de garganta, cabeça, musculares, costas e articulações, falta de ar, cansaço e calafrios. A indicação é de que se procure uma Unidade Básica de Saúde assim que a pessoa apresentar qualquer um dos sinais.

Segundo a Sesa, o início do tratamento é recomendado nas primeiras 48 horas e pode ainda ser benéfico se iniciado de quatro a cinco dias após o início do quadro clínico. “O tratamento com o antiviral, de maneira precoce, pode reduzir a duração dos sintomas e, principalmente, a redução da ocorrência de complicações da infecção pelo vírus Influenza”, alerta a secretaria.

Vacinação

Iniciou na segunda-feira (17) e segue até 26 de maio a campanha de vacinação contra a gripe. O público-alvo são gestantes, puérperas, pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a quatro anos, indígenas, profissionais de saúde, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.  A meta é de que sejam vacinadas 3,1 milhões de pessoas.

No sábado (13 de maio), ocorre o Dia D da campanha. Na ocasião, as unidades de saúde funcionarão durante todo o dia para ampliar o atendimento e facilitar o acesso à vacinação.

Deixe uma resposta