A “novela mexicana” em que se transformou o Paranaense 2017

Parecendo querer fazer inveja aos roteiristas de novela mexicana, a Federação Paranaense de Futebol promoveu nova reviravolta no Estadual 2017 na noite da última terça-feira (11), quando encaminhou ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) um pedido de urgência para a análise das solicitações dos clubes (Paraná Clube e FC Cascavel) sobre fazer valer seus direitos nas quartas de final, ou seja, mudar os confrontos, com a saída do J. Malucelli e a inclusão do Rio Branco.

O detalhe é que o pedido de urgência da FPF ocorreu apenas seis dias depois a decisão do STJD em punir o Jotinha e modificar o regulamento do campeonato e que nele a Federação diz ser favorável à mudança. Além disso, ocorreu pouco depois de o deputado federal Evandro Roman protocolar na Câmara dos Deputados uma Proposta de Fiscalização e Controle que propõe que a Comissão do Esporte apure a atuação do STJD diante da decisão que modificou os duelos mata-mata do Campeonato Paranaense.

Com isso, os jogos realizados no último fim de semana – leia-se a classificação de Atlético e Cianorte à semifinal e a eliminação de Prudentópolis e Paraná Clube (time que somou mais pontos e de melhor ataque e defesa da primeira); bem como a pancadaria no clássico na Vila Capanema -, não deverão ter valor algum.

Os jogos do meio de semana, Coritiba x FC Cascavel e Londrina x Rio Branco, também deverão ser confirmados como “amistosos de luxo”. A expectativa é que o pedido de urgência da Federação Paranaense seja apreciado apenas na pauta de quinta-feira (20) do STJD. Caso aceito, as quartas de final deverão começar no sábado (22) e ter os seguintes duelos: Rio Branco x Paraná, Atlético x Coritiba, Cascavel x Cianorte e Prudentópolis x Londrina. Desta maneira, é provável que haja nova transmissão pela internet do clássico Atletiba, como já ocorreu na primeira fase depois de ser “cancelado” pela Federação e posteriormente ter entrado para a história como o primeiro do País a ser transmitido ao vivo pela rede mundial de computadores.

Deixe uma resposta